(Em um lugar onde os pensamentos podem florecer)

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

sad

-

Ela foi educada.
Bateu levemente na porta com seu punho suave,
esperou com paciência, longânima, sem nenhuma pressa.
Abri a porta e lá estava ela.
Sorrindo satisfeita, me cumprimentou, largou as malas e se espreguiçou no sofá, deu tapinhas no acolchoado indicando para sentar-me ao seu lado.
Ela lançou os braços longos e decididos e me embalou em seu colo.
Parecia seguro. Parecia errado.
A triste
za é bem acolhedora.
Pensei em pergunta-lhe se demoraria para partir, se estava só de passagem.
Mas nada disse.
Passamos assim horas a fio.
Ela apenas sussurou "você vai conseguir".
E eu sinceramente não sei o dia da sua partida.

MORAES, Heloisa


2 comentários:

Aurora disse...

Às vezes é melhor não saber o final e só aproveitar o agora.
Beijo.

Jhosy . disse...

É, muitas e muitas vezes, ela vem. É quase arrebatadora e confusa, nos envolve e quer ficar.
Mas bom mesmo, é encontrar forças em meio a tristeza e, viver. Da melhor maneira que for possível.

Um beijo,
uma excelente semana desde já flor.

Jhosy

http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/