(Em um lugar onde os pensamentos podem florecer)

quinta-feira, 3 de março de 2011

Resto


E o que restou de tudo foram algumas fotos amareladas
de momentos que dizíamos ser para sempre,
dizíamos que seria eterno.
Engraçado.
Hoje notei que um de nós mentiu,
e tenho certeza que não foi eu.
Eu não mentir.
Eu acreditava em nós.
Que pena. Eu acreditava sozinha.

Um comentário:

Sahara Higino disse...

Como eu disse não há de ser nada, além de uma pilha de fotos velhas e amareladas. Dois arqui-inimigos pateticamente de mãos dadas. Parece que foi ontem, e eu até tenho saudade.

Ludovic.